E aí, vamos de história? #roteironainternet

 

1 tratado
Nívola Uyá, ilustração para o livro Que amores de sons, texto de Alexandre Honrado e Penélope Martins. Editora do Brasil.

Castelos com reis e rainhas e príncipes e princesas, e festas, muitas festas onde músicos mágicos conseguem tocar mais de um dia e uma noite, sem parar. Florestas densas onde a luz do sol não adentra, e há uma serpente misteriosa que se comunica com uma mulher feiticeira que mora lá naquela casinha que ninguém sabe onde fica. Cavernas esquecidas que levam para o outro do mundo, onde fantasmas de piratas guardam baús enormes de ouro e lavas incandescentes saltitam dentro de algum um buraco que vai dar bem no coração da terra.

Desertos, luas, planetas… Tudo isso cabe na história.

Mas quem sou eu, o bem ou o mal? Heroína, herói, bruxa, mago, amazona ou cavaleiro?

Ao contar histórias, voltamos ao começo de tudo e de nós mesmos, apuramos a escuta, compreendemos nossas emoções, estabelecemos confiança em nós mesmos, refletimos sobre outras possibilidades de trilhar a jornada, investigamos a razão, alguma espécie de virtude nos faz acreditar. Somos um pouco de cada personagem ou cada personagem simboliza um pouco do que somos, porque a história é feita desse diálogo de fora e de dentro da gente.

É através das histórias, contadas por muitas e muitas gerações, que poderemos viver eternamente…

Meu nome é Penélope Martins, eu sou escritora e narradora de histórias e, junto com você, estou a buscar mais e mais histórias para ver, ouvir e contar. Também podemos andar a relembrar brincadeiras, canções, visitar museus e exposições, saber de alguns filmes dignos de dose dupla de pipoca e gomas… Essa viagem não terá fim, já sei bem. Por isso, considere como dicas por um roteiro interminável na viagem pela imaginação.

Bora lá? Pra já, vamos explorar as terras férteis do Youtube, onde narradores de história do mundo inteiro perpetuam vozes antigas de todos os povos.

A primeira cidadela que eu escolhi pousar foi a de Dona Regina Machado, escritora, narradora, educadora, e mãe do Festival Internacional Boca do Céu. Mas lembre-se, essa é a primeira viagem, e com Regina Machado tem muita história boa para ouvir, por isso, a gente vai passar uns tempos por lá, de um vídeo para o outro, aproveitando cada segundin bem passado…

Mas não se esqueça que eu volto aqui para seguir viagem!

 

Regina Machado também é autora de diversos livros, como Nasrudin, O menino e o vento, O violino cigano, todos com contos ótimos para contar histórias por aí. Ela também é autora do livro “A arte da palavra e da escuta”, uma reedição da síntese teórico-poética a partir de sua experiência dentro e fora da Universidade de São Paulo desde 1984, uma obra que estabelece função cultural, social, estética e educativa para a arte da narração, além de refletir sobre a importância de se contar histórias atualmente.

Foto 1 - Livro - A arte da palavra e da escuta

Bom, por enquanto, estamos assim, em excelente companhia. E logo mais a gente volta para a estrada da internet à procura do próximo pouso.

Até lá!!

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s