o segredo mais forte do mundo

“Havia um reino. Nesse reino, havia um palácio e, nesse palácio, havia uma Rainha. Em suas mãos havia um segredo. Um segredo que ninguém conhecia.”

Um dia, chegaram muitos navios pelo mar e, no comando, o homem que se nomeava o mais forte, o mais poderoso e o mais temido de todos. Bao era o nome do homem que obrigava a Rainha a se tornar sua mulher.

A Rainha pensou e respondeu ao homem que o oceano era mais forte do que ele. O homem interpelou o oceano e este disse que o riacho era quem o alimentava. O riacho por sua vez atribuiu à nuvem toda sua existência…

Bao foi caminhando pelo  reino em busca de um oponente à sua altura, alguém com quem pudesse lutar e provar sua força e poder para, enfim, obrigadar a Rainha a se casar com ele.

Neste contemporâneo conto de fadas, Gaël Aymon nos convida a viajar por dois reinos simultaneamente, um reino que existe fora de nós, composto por tudo que há no mundo, e outro reino que existe dentro de nós, composto por toda sorte de sentimentos.

A história me fez lembrar da sensação que tive quando visitei o litoral do Piauí, no distrito de Barra Grande. Não havia ninguém na praia numa longa distância, até o mais remoto, que os meus olhos pudessem ver. Só estavam eu e o oceano que ia e voltava para as pedras da costa. Senti uma tristeza imensa, primeiro, mistura de solidão e de saudade de tudo que eu nem sabia. Chorei um pouco.

Lembro ter olhado diversas vezes ao redor para tentar me consolar com a presença humana, mas nada.

Depois, percebi a grandeza daquele oceano, perseverante no seu movimento para com a vida. Era o mesmo oceano que banhou meus antepassados, o mesmo oceano que batia em costas gélidas do outro lado do globo… Fiquei pequenina como um grão de areia e agradeci por estar viva, presenciando a beleza de ser pouco e ser tudo.

As vezes nos falta uma boa história para acertar nossa percepção sobre a vida.

Gaël Aymon me deu um presente no dia de hoje. Ele me lembrou que nosso poder vem do pensamento e que o pensamento nos leva a transformar nossas ações, afinal, nós somos a chuva que cai e o a folha verde da água, todos ligados numa relação íntima de necessidade vital. Cabe a nós perceber a importância de cada pedacinho ‘nosso’ espalhado pelo mundo.

Se você quer se encantar com o conto O segredo mais forte do mundo, procure pelo nome dos autores Gaël Aymon, que escreveu o texto, e Pauline Comis, que compôs as imagens. No Brasil o livro foi editado pela Dedo de Prosa, de São Paulo.

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s