sorriso, Helder Magalhães

sorriso

calha de algures
por uma fome de infinito
a estrada desembocar
na curva do horizonte
que avança lenta
no crepúsculo da espuma
esperamos o cair
da noite entre o dorso
e o rútilo espelha-se
sobre a fina camada
de que é feito
o sorriso da eternidade.

Helder Magalhães

Fotografia de Andreia Amorim

*nossa correspondência com Clube de Leitores, Portugal

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s