azia

Homem de palha

ressequido pelo sol.

Velho veleiro

boiando no mar.

Sol desbotado

no centro do nada.

Parafuso enferrujado,

maçã podre,

mãos enrugadas,

flores secas,

amor amargo,

bêbado trôpego,

silêncio ondulado,

silêncio pesado.

palavras vazias,

mastigadas, cuspidas,

pois provoca azia

saborear nostalgia.

*Por Raquel Serejo Martins

  • A nossa ponte com o Clube de Leitores, blog de Portugal. Uma conexão é giro!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s