O filho do vento

Capa

Hoje é dia 4 de dezembro, dia de comemorar a força de um orixá de nome Iansã. Os orixás são divindades africanas, cada um dominante de uma força da natureza, o que os faz sempre presentes entre nós. O reino de Iansã são os ventos e as tempestades.

Conta uma história que Oxalá precisava vencer uma grande batalha. Ogum estava ao seu lado trabalhando incansavelmente para forjar as armas. Por mais que Ogum trabalhasse, não conseguia atender a tantos pedidos. Então veio Iansã, soprou o fogo que forjava as armas e a guerra foi vencida por eles.

Iansã ficou conhecida como deusa das guerras no domínio dos ventos. Assim, toda vez que sopra um vendaval, os devotos do orixá Iansã reconhecem seu grande poder e saúdam a deusa.

Porque hoje é dia da Senhora dos Ventos, lembrei de uma história sibilante.

Um menino de nome Nakati subiu a montanha atrás de ovos de avestruz e foi surpreendido por um menino com cabelos eriçados que o convidou para girar a bola. Era o filho do vento; ele estava contente por ter, finalmente, encontrado um menino de sua idade para brincar.

Os meninos se deram muito bem e já não queriam se separar, mas, antes de chegar o final da tarde, a mãe do filho do vento o chamou para dentro de casa, uma cabana isolada no alto da montanha.

O filho do vento sabia o nome de Nakati, mas Nakati não sabia o nome do amigo. Quando a mãe do menino o chamou Nakati se esforçou para ouvir e aprender, mas só conseguiu perceber o vento soprando e assoviando.

Naquela noite, Nakati perguntou para sua mãe qual era o nome do menino que vivia no alto da montanha, naquela cabana isolada de tudo e de todos. A mãe de Nakati ficou assustada e não revelou o nome do amigo do filho. Ela explicou que tal segredo não devia ser revelado sob pena varrerem fortes ventanias…

A partir daquele dia, os dois meninos se tornaram grandes amigos. Nakati sempre atento a aprender o nome do filho do vento.

Foi depois de um dia de muita brincadeira que Nakati, já tendo aprendido o nome do amigo, resolveu desafiar as forças da natureza. Turbilhões, tornados, redemoinhos e furacões se formaram ao redor do menino.  Nakati tinha de correr mais rápido que o vento para se refugiar dentro de casa. Será que ele conseguiria tal proeza?

Esse reconto traz os ventos africanos para nossos ouvidos e é soprado por Rogério Andrade Barbosa, no livro O Filho do Vento, com ilustrações de Graça Lima, em edição da DCL de São Paulo.

Rogério Andrade Barbosa é mineiro, atualmente vive no Rio de Janeiro, além de ser escritor de vários livros infanto-juvenis, é também professor de literatura. Rogério trabalha na área de literatura Afro-Brasileira e programas de incentivo à leitura, proferindo palestras e dinamizando oficinas. Ex-voluntário das Nações Unidas no Guiné-Bissau, lecionou dois anos lá. Tem mais de 70 livros públicados, traduzidos para o inglês, espanhol e alemão. Foi indicado para a lista de Honra do IBBY, em 2002, na Suíça, e recebeu, em 2005, o prêmio da Academia Brasileira de Letras, na categoria literatura infanto-juvenil. Você pode conhecer outras obras de Rogério Andrade Barbosa no site do autor, rogerioandradebarbosa.com.

A atriz Vanessa Pascale, conta para nós a história com o livro animado.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s