Passarim de Barros, de Marília Pirillo

 

(…)

Foi graça alcançada não ser ovo gorado.

E, teimando com a razão,

foi crescendo sem pressa e sem culpa,

irresponsável de si.

 

Era avoado da vontade de falar.

Não dizia palavra.

Parecia ter todo o silêncio do mundo cultivado dentro.

 

(…)

* trecho escolhido em Passarim de Barros, de Marília Pirillo. São Paulo: Editora Leya.

 

Anúncios

Um comentário em “Passarim de Barros, de Marília Pirillo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s