um som da pesada só pode vir de embolada

Achei este cd um dia numa livraria. Gostei da ilustração da capa, com cara de livro bacana acabou me cativando de imediato. Li os nomes das músicas e já fiquei interessada em ler as letras. Feliz da vida com a tecnologia disponível, passei o código de barras no aparelho, coloquei os fones de ouvido, levei amostras de cada faixa para dentro da cachola.

Hum… Som bom…

Logo de cara um pandeiro colorindo nossa amizade. A primeira faixa dá o nome ao cd “Embolada”, é a Embolada do Rodrigo. Gostei da rima bem engajada na canção e a expectativa do que vai aprontar esta bola na embolada de menino.

A segunda surpresa veio com voz deliciosa de Zélia Duncan. Olha um Ninho! Uma canção que traz aconchego nas miudezas cotidianas do zelo, do cuidado, do afeto:

“Como é miudinho
O bebê passarinho
Tem o corpo pelado
Assim meio rosado
E já abre o biquinho”

Puxa, como gostei dessa…

Outras memoráveis são a “Macacada” com voz solta de Ná Ozzetti e a “Moda do Jacaré” numa boa deslizou fora da lagoa para tomar um sol em cantoria de Alzira Espíndola. Eu gostando cada vez mais.

Trouxe para casa o cd, curtiram de montão e acabei descobrindo, dias depois, a própria Rita Rameh.

Coisa engraçada porque eu descobri o cd “Embolada” praticamente antes do lançamento. Coisas da produção independente. Rita me falou do outro trabalho, o álbum “Por quê”, também me convidou para um show simpático no SESC.

Comprei o “Por quê” da Rita do Luiz, com os pedidos insistentes da minha filhotinha que já estava fã da dupla.

Algumas preferidas apareceram. A “Cidade” faz lembrar uma brincadeira com as peças de madeira em que montávamos nossa própria vila com a igreja, a escola e a fábrica. Quem encanta no cd, novamente, é Alzira Espíndola. “Família” é também uma música que faz prestar atenção em algo importante: diga quem é sua família porque cada família é de um jeito. Quem empresta a voz nesta faixa é Cris Aflaflo, uma doçura só.

As outras músicas seguem com investigações atraentes e sempre bem humoradas.

Minha filhinha logo elegeu “Onça Pintada” porque afinal de contas toda menina é meio onça. Eu gosto do mar, então acabei sendo pescada por “Sardinha” e engolida por “Tubarão”. Meu filho ficou “Praia, Campo ou Cidade” porque não resiste a uma saidinha pelas estradas.

O trabalho de Rita Rameh e Luiz Waack é mesmo cativante. Luiz acrescenta um maravilhoso desenvolvimento musical, competência reconhecida. Rita Rameh surpreende nas rimas, no vocabulário, nas temáticas e no sempre bem humorado jeito de dizer as coisas, também junto de Luiz Waack em algumas letras.

Os encartes ganharam ilustrações e projetos que garantem ainda maior vontade de ler as letras, cantar junto.

Para coroar com cereja o bolo de aniversário, o primeiro cd levou prêmio TIM de música infantil e o segundo merecidamente também foi agraciado com o prêmio.

Então, o que você está esperando para buscar “Por quê” e “Embolada” da dupla Rita Rameh e Luiz Waack? Porque sem Embolada não dá pra saber o por quê nem embola de mola as suas vãs caraminholas.

Corre meu amigo, e fique esperto na agenda de shows destes músicos.

O link do youtube pode dar aquele gostinho de brincadeira com amostra da primeira canção que ouvi dessa turminha:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s